Resenha - Hop-Frog | #12MesesdePoe

sexta-feira, abril 22, 2016 0 Comentários A+ a-


Título: Hop-Frog
Autor: Edgar Allan Poe
Nº de páginas: 7
Saiba mais sobre o projeto: Clique Aqui












Resenha
Hop-Frog, um conto escrito por Edgar Allan Poe e publicado em 1849, é narrado em terceira pessoa e conta a história de um bobo da corte anão e coxo (segundo o narrador, o melhor tipo de bobo da corte daquela época eram os anões). O anão era chamado de Hop-Frog e ele foi arrancado de sua família para servir de bobo da corte para um rei gordo. Hop-Frog tinha uma amiga - também anã - chamada Tripetta. 

Certo dia, o rei decide fazer um baile de máscaras, e como era um rei que adorava rir, decidiu embebedar o anão para que ele fizesse o papel de bobo da corte melhor do que ele costumava fazer. Tripetta tenta impedir o rei de continuar com isso, mas o rei joga bebida em sua cara e a humilha na frente de todos, deixando Hop-Frog furioso e decide se vingar.

Hop-Frog dá a ideia de pregar uma peça nos convidados e sugere que o rei e seus sete conselheiros se fantasiem de orangotangos. Ele acorrenta todos os "orangotangos" e os pendura como um lustre, afim de "iluminar o salão", mas a forma como ele ilumina é a parte mais macabra em que ele se vinga realmente.

O conto Hop-Frog faz claramente uma crítica a coisificação de pessoas... Uma hora ele e sua amiga serviam de objetos de entretenimento, outra hora, seu patrão também virou um objeto para iluminar um salão. Até agora, o conto do mês de março foi o meu preferido, justamente por fazer essa crítica e por conter um conflito mais sucinto. (sinto muito pelo atraso para ler e resenhar!)

Você já leu esse conto? O que achou? Está participando do projeto? Comenta aí!

Sara Muniz, dona do blog Interesses Sutis, sou apaixonada por ler, escrever e criar. Adoro música erudita, rock, pop, música francesa e de vez em quando até uma musiquinha indiana para dar uma animada! Preciso ver artes plásticas para me inspirar a escrever. Meus autores preferidos são Patrick Rothfuss, J.R.R. Tolkien, Brandon Sanderson, Jostein Gaarder e Khaled Hosseini (nessa ordem). Amo cantar e desenhar - mesmo fazendo ambas as coisas mal -, sou fissurada por cachorros e todos são "bebês fofinhos" para mim. Às vezes, eu acho o mundo lindo, outras vezes eu acho que a colisão de um meteóro com a Terra seria a salvação. Saiba mais sobre mim na página "About"!

"Comento, logo existo."