Resenha - V de Vingança

domingo, março 15, 2015




Título: V de Vingança
Autor: Alan Moore e David Lloyd
Arte: David Lloyd
Editora: Panini Comics
Nº de páginas: 308
No Skoob: Clique Aqui



Sinopse:
V de Vingança - Londres. Cinco de novembro de 1997.
Numa Inglaterra dominada por um regime totalitário, uma figura misteriosa chamada simplesmente V, usando vestimentas e uma máscara que evocam a imagem de um infame personagem histórico britânico, desponta no horizonte como a única chance de que haja liberdade novamente. Chegou a hora de alguém levantar a voz e dar um basta à situação vigente...
A poderosa e aclamada obra concebida pelo genial escritor Alan Moore e o excepcional desenhista David Lloyd finalmente ganha uma edição à altura de sua importância, contendo a história completa, esboços originais, notas e uma detalhada explanação do autor sobre a criação desta maravilhosa HQ.
Um verdadeiro marco na história da narrativa gráfica, V de Vingança é um hino à resistência e à necessidade de liberdade. Sua importância é tão grande que até hoje é apontada como uma das melhores publicações do gênero, tendo, inclusive, influenciado os irmãos Wachowski (criadores da trilogia Matrix) a produzir um excelente filme baseado na obra.


Eu sou do tipo de pessoa que adora ler, mas que reconhece e sabe diferenciar muito bem um livro que não passa de uma estórinha de um que vai enriquecer a minha vida e o meu conhecimento de alguma forma. Admiro boas estórias, mas admiro ainda mais as que trazem algum conteúdo construtor de opinião.

Resenha
Acho que toda pessoa que se preze já assistiu V de Vingança. Peguei o HQ emprestado e não me arrependi nem por um segundo! Eu li muito lentamente, pois me disseram que se você ler rápido demais, terá de reler para entender. Eu li bem devagar e entendi tudo, vou ver se consigo explicar para vocês, sem dar muito spoiler.

Como todos devem saber, em "V de Vingança", a Inglaterra está dominada por um regime totalitário, ou seja, câmeras por todo lado, toque de recolher, leis rigorosas e imutáveis. Na verdade, nem tão imutáveis assim. Não para V.

O codinome "V", adotado pelo protagonista, surge da palavra "Vendetta", que é Vingança em italiano. Ele foi o primeiro a erguer a voz para acabar com o governo terrível que tomava conta de Londres. 

Primeiro, devemos saber que logo no início desse regime, foram construídos campos de "reabilitação", que na verdade eram campos de concentração mesmo. Lá ficavam presas as pessoas "defeituosas", ou seja, com problemas mentais ou deformações. E o pior era o que faziam com essas pessoas, pois era aberto para pessoas fazerem experimentos com os presos. Até conta a história de uma mulher que foi fazer testes nos prisioneiros e conta alguns resultados: dedos crescendo na panturrilha de alguns, mortes, etc. No livro não mostra como V foi parar lá, no filme nós sabemos que ele o corpo dele é totalmente queimado e deformado, mas não dá pra saber se foi por causa disso que ele foi parar nesse campo. V ficava na cela 5. Ou em número romanos, na sala V. Não sabemos como ele fugiu, mas as primeiras vítimas de V são os funcionários daquele campo de concentração. 

Toda vez que mata alguém, deixa uma rosa raríssima, que ele mesmo cultiva em casa. Logo no início, conhecemos Evey, uma garota órfã que está tentando ganhar a vida como prostituta, mas não dá muito certo e V acaba tendo que salvá-la, a partir daí, os dois viram amigos e nutrem um amor. Não acredito que seja um amor entre dois amantes, creio que seja mais amigável mesmo.

Para não contar muuuuito mais o que acontece, quero dizer que V consegue mudar algumas coisas e tornar aquela sociedade o "faça o que quiser", onde as câmeras são desligadas, não tem mais toque de recolher e as pessoas estão mais livres. V não está satisfeito, ele quer tirar várias pessoas do poder e faz o que pode a HQ inteira. Consegue apresentar a verdadeira sensação de liberdade à Evey e deixa um legado inesquecível.


✖ Avaliação da escrita: Escrita impecável! Variável, de acordo com o intelecto do personagem, obviamente. Por exemplo, V jamais falaria como Evey, que usa "tô" "tá" toda hora. Exemplo: "Eu tô triste, você tá triste?".


✖ Avaliação do enredo: O enredo é incrível, alguém AINDA MAIS INCRÍVEL tentando revolucionar algo que já está tomado por regras e que tinha a imagem do liberalismo como algo inalcançável. Sou simplesmente apaixonada pela criação de Alan Moore.


✖ Avaliação da capa: A capa é muito linda! Não sei o que dizer sobre ela, não a imagino de outro jeito. A representação da face de V, da face de todos nós. Abaixo segue a imagem que está na HQ de várias tentativas de capa para o V de Vingança:


✖ Sobre o protagonista: O que dizer de V? Ele é um personagem que eu sempre admirarei muito por ser tão inteligente, poético, intelectual, único e excepcional. Não preciso nem dizer que o acho extremamente foda por recitar versos e trechos de livros de poetas clássicos e filósofos revolucionários toda vez que conversa com alguém (seja para matar ou não). Acho o personagem incrível e misterioso, o meu amor pela estória se dá principalmente por V.


✖ O que me levou a avaliá-lo como excelente? 
Primeiro eu deveria me perguntar, como NÃO avaliar isso como excelente? O que tem de não excelente nesse livro? Difícil responder. Na realidade, impossível. A primeira HQ que representa um herói contra a política. Sempre amarei V de Vingança (tanto o filme quanto a leitura) pois além da formalidade encantadora, personagens com personalidades dinâmicas e protagonista genial, o contexto me cativa. Eu sou do tipo de pessoa que adora ler, mas que reconhece e sabe diferenciar muito bem um livro que não passa de uma estórinha de um que vai enriquecer a minha vida e o meu conhecimento de alguma forma. Admiro boas estórias, mas admiro ainda mais as que trazem algum conteúdo construtor de opinião.


✖ Considerações finais: Uma coisa legal da HQ, é que no final Alan Moore conta como foi a criação da obra e, principalmente, como foi difícil chegar ao "V" final. Conta também como foi difícil criar um herói "aceitável" para as editoras. Várias páginas que vão te deixar por dentro de tudo o que houve (a foto acima é um exemplo). Não posso dizer que recomendo V de Vingança para qualquer leitor, pois é algo complexo que talvez não seja captado logo e talvez deva ser lido por mentes um pouco mais velhas. Por exemplo, se você tem 12 anos, eu não recomendo que leia agora. Mas, se você tem 15 anos, eu recomendo que você leia o mais rápido possível. Não sei se consigo explicar o porquê disto, mas é algo relacionado à opiniões já formadas. Além de conhecimentos sobre política mais avançados, obviamente.

Agora deixo com vocês mais algumas imagens da HQ:








E você, já assistiu "V de Vingança"? Se sim, o que achou do filme? Já leu a HQ? Se sim, conta aí o que achou dela e da arte! Comenta aí!



Beijocas da Saroca!

Você também poderá gostar de

2 comentários

  1. É um dos filmes mais legais e mais interessantes que eu já assisti. Adoro a história, e adoro o V.
    Nem sabia que tinha HQ (vim saber quando vi tu marcando lá no skoob, haha) Agora, quero pra já!
    Kissus
    www.penseicliquei.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é muito legal. Todos nós temos o V conosco <3 simmm, você tem que ter!

      Excluir

"Comento, logo existo."